Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas do senhor Absinto

o dia a dia de alguém do Norte, absolutamente desNorteado

Crónicas do senhor Absinto

o dia a dia de alguém do Norte, absolutamente desNorteado

Ter | 04.12.18

no DIAP

senhor Absinto . obrigada
Hoje dou inicio as crónicas do senhor Absinto, ou seja, ""mesmo para esquecer".

Amanhã continuarei as crónicas do senhor Absinto, ou seja, ""mesmo para esquecer".

 

 

O senhor Absinto foi recentemente ao DIAP . Departamento Investigação e Acção Penal, cheio de coragem 

e confiança na justiça e naturalmente no sistema judiciario criminal/penal em Portugal Continental.

 

Até foi de "metró", essa invenção fenomenal,

só não se consegue perceber é como se tira um bilhete na maquina,

(deviam ser ingleses a tratar definitivamente do assunto, com base na confiança reciproca e simples).

, ou então os antigos "trinca bilhetes da STCP".

 

Ele havia recebido um telefonema de um oficial de justiça muito amável a convida-lo comparecer DIAP por um caso de 

simples violencia domestica, art 152 CPenal Português, (moldura penal 1 a 8 anos prisão efectiva), portanto 

uma muito simples ocorrencia na vida de um qualquer cidadão, para ele, o oficial de justiça, 

mas para o Absinto não, desfaleceu logo e tremeu pronto.

 

E logo não dormiu nem mais um minuto sossegado durante oito dias.

 

Claro, o senhor Absinto começou logo a beber.

Agua das Pedras sem Absinto. 

(falarei um dia sobre a milenar agua subterranea das Pedras Vidago Salus)

 

Então senhor Absinto cogitou

"Isto vai de feição"

 

Após oito dias sem dormir tranquilamente, senhor Absinto aparece fresco, logo de pronto, hora marcada.

Mas qual, hora marcada em Portugal não existe, só existe a pronta justificação "sabe, é a vida", "temos o sistema informático em baixo", "ó Lopes, sabes a Password da Procuradora?"

 

Interrompeu as portas do Tribunal pelas 14.00 H e logo se apresentou aos seguranças privados que o verificaram de tal modo, 

que nem no Aeroportos do Egipto ou Israel o fazem, porque ainda respeitam o preceito constitucional "dignidade humana"

 

Assim, senhor Absinto, despido já da sua dignidade humana, pela arbitrariedade e sorrisos dos seguranças privados, 

subiu ao piso superior DIAP 1ª Secção, e logo ele inspirado dizia 

"é agora, de certeza que me confundiram com o senhor Gin, vou prova-lo agora"

 

Qual!

Vamos é dormir em pé!

E foi o que fiz.

 

obrigada.